Notícias


Publicado em:
13
11/2018

Jogo Detetive, da Estrela, inspira nova sala do Escape Time

Participantes têm sessenta minutos para recolher pistas e encontrar o assassino do banqueiro Carlos Fortuna antes que apareça outra vítima.



Metatags: Estrela, Detetive, Escape Time, Coronel Mostarda.

“Quem matou foi o Coronel Mostarda com o castiçal na sala de estar”. Talvez você já tenha dito alguma frase parecida com essa ao brincar com Detetive, o jogo de tabuleiro criado em 1949 na Inglaterra e trazido alguns anos depois para o Brasil pela tradicional fábrica de brinquedos Estrela.

Na brincadeira, um assassinato acontece em uma mansão e os participantes devem descobrir quem foi o autor do crime, com qual arma e em qual aposento. São seis suspeitos: Coronel Mostarda, Dona Branca, Senhora Pavão, Professor Plum, Reverendo Green e senhorita Scarlett, que podem ter cometido o crime com um castiçal, um pedaço de cano, chave inglesa, corda, faca ou revólver.

Há algum tempo, a Estrela lançou mais uma versão do jogo, com novos personagens, novas armas e, em vez de uma mansão, uma cidade inteira como cenário. É nesse local que a recém-aberta sala da Escape Time, no Brooklin, se baseia.

Antes de entrar no jogo, os participantes devem escolher uma carta com um personagem e não o revelar a ninguém. Para aumentar a diversão, o assassino pode estar em meio aos jogadores. A partir daí, há onze soluções possíveis para o mistério que ronda a morte do banqueiro Carlos Fortuna. Em sessenta minutos, pistas precisam ser recolhidas e enigmas devem ser desvendados para que o suspeito seja encontrado antes que apareça outra vítima.

Como os finais são diferentes, essa é a única sala da Escape Time que pode ser jogada novamente. Ainda assim, para quem quiser ter novas experiências, a casa traz espaços inspirados no filme Jogos Mortais, no jogo de videogame Assassin’s Creed, no livro Assassinato no Expresso do Oriente (de Agatha Christie) e na famosa prisão federal dos Estados Unidos, Alcatraz.

Outras salas que devem causar arrepios são a de um hotel, onde os participantes devem descobrir um tesouro escondido antes do local ser demolido ao fim de uma hora, e outra em que o Dr. Hyde, responsável pela criação de um vírus que transforma as pessoas em zumbis, está desaparecido e precisa ser encontrado para preparar o antídoto.

Fonte: Primeira Página, com matéria da Revista Veja


Últimas notícias

Serasa Experian alerta que 40% dos sites brasileiros não estão seguros

Criminosos aproveitam a data para roubar dados e realizar fraudes. Serasa lista dicas para os lojistas estarem atentos ao assunto.
Leia Mais

Ri Happy inaugura loja conceito em Ribeirão Preto

A ideia é fazer o próprio público divulgar a marca com fotos nas redes sociais.
Leia Mais

Consumidores recorrem a avaliações on-line para tomar decisões de compra

Coordenador de digital business da FGV afirma que comentários em ambientes digitais são a segunda fonte mais confiável de informações sobre produtos.
Leia Mais