Mercado

5 momentos marcantes na evolução da bola de futebol

Nos anos 50, o couro se encharcava em dias chuvosos e a bola ficava bem mais pesada, o que dificultava a precisão dos chutes.

A bola é um dos brinquedos mais antigos do mundo. No Brasil, o futebol chegou em 1894, trazido pelo inglês Charles Miller e a bola destes primórdios do esporte era feita de couro curtido com uma costura bem grosseira. Ao cabecear os cordões machucavam a testa dos jogadores.

Acompanhe alguns momentos marcantes desta paixão nacional!

  1. Copa do mundo de 1958

A bola usada na primeira Copa do Mundo em que o Brasil foi campeão já não tinha os tais cordões, mas continuava sendo feita de couro. Em dias chuvosos, o material se encharcava e a bola ficava bem mais pesada, o que complicava na precisão dos chutes.

  1. Anos 60 e 70

As bolas ainda eram feitas de couro, mas com um diferencial, eram impermeabilizadas, ou seja, não ficavam encharcadas em campos molhados.

  1. Anos 80

Os materiais sintéticos começaram a ser usados na fabricação de bolas. O aspecto visual e a durabilidade do material conquistaram a atenção dos jogadores.

  1. Anos 90

Chegou a vez dos polímeros! As bolas fabricadas a partir deste período ficaram mais leves graças à presença de polímeros. O poliuretano (altamente durável e leve) é usado como revestimento e nas camadas internas se emprega o poliestireno, ao passo que as câmaras de ar (presentes no interior da bola) são de látex.

  1. Início do século XXI

Os polímeros chegaram para ficar! A prova disso é a composição das bolas mais modernas: sob o revestimento de poliuretano se emprega dez camadas de poliestireno e na câmara é usada a borracha butílica. A tecnologia deste século permite que os gomos da bola sejam unidos por ligação térmica em vez de costuras.

 

Leia também: Sete horas: esse foi o tempo para resolver o cubo mágico mais difícil do mundo

Leia também: Toys “R” retorna com lojas “Instagramáveis”

 

Fonte: Primeira Página

Redes Sociais