Passado inspirando o futuro

Com nova roupagem, a nostalgia está em alta na indústria de brinquedos

A ABRIN comemora seus quarenta anos celebrando o passado, mas com os olhos voltados para o futuro. Este conceito permeia toda a edição 2024, e com o ABRIN Talks não poderia ser diferente.

A arena de conteúdo da maior feira de brinquedos da América Latina dedicou seu primeiro dia (3 de março) justamente para esta época, o ontem, e o quanto ele representa de oportunidades para o mercado hoje e amanhã.

Evolução do brinquedo

A programação não poderia ter começado melhor: reuniu representantes de três empresas que participaram de todas as edições: Aires Fernandes (Estrela), João Nagano (Grow) e Moise Candi (Candide) no painel “40 anos de ABRIN: A evolução do brinquedo e sua relação com os consumidores”. A mediação foi de Fernando Palacios, da Storytellers.

Os fabricantes destacaram as mudanças pelas quais os brinquedos passaram nas últimas quatro décadas: “O brinquedo de antes era mais contemplativo. Hoje, ele ‘chama’ a criança para brincar, porque disputa o tempo e encantamento dela com outras indústrias”, disse Fernandes.

Segundo Nagano, as formas de comunicação com o consumidor se tornaram mais complexas: “Antes, você fazia um anúncio na revista certa e atingia a mãe da criança; agora, está muito mais disperso”. É por isso que para Candi, o futuro da indústria de brinquedos passa por “entender e se comunicar com as crianças para saber o que ela deseja e atendê-la da melhor forma”.

Nostalgia

O painel seguinte, “O passado vendendo no presente: a nostalgia como valor de negócios”, concentrou-se em licenciadores, fabricantes e varejistas que obtiveram sucesso com marcas e personagens que despertam a fantasia dos consumidores”.

Já existe até um termo que define este público, os kidults, adultos que buscam resgatar a infância por meio de brinquedos.

Na visão da mediadora Marici Ferreira, CEO do EP Grupo e presidente da ABRAL, o boom deste mercado se deu durante a pandemia, quando as famílias passaram mais tempo juntas em casa e os pais voltaram a brincar, agora com os filhos”.

David Diesendruck, CEO da Redibra, lembrou que o brinquedo passou a ser percebido como atividade de lazer dos adultos, e que, nos Estados Unidos, uma pesquisa mostrou que 20% dos brinquedos são comprados pelos filhos para presentear os pais.

Detentora de licenças que mexem com o coração de muito marmanjo – Cocoricó, Castelo Rá-Tim-Bum, No Mundo da Lua – a TV Cultura foi representada por seu vice-presidente, Enéas Carlos Pereira. O anúncio do revival destes programas causou verdadeiro frisson no final de 2023. “Decidimos que a melhor forma de comemorar os 55 anos da TV Cultura em 2024 seria olhar para a frente e tornar contemporâneas nossas licenças clássicas”.

A fabricante Líder Brinquedos colheu resultado semelhante com seu mais recente lançamento, a linha de colecionáveis FandomBox: “Repare que alguns dos maiores sucessos de venda dessa linha são personagens criados há muito tempo, como Snoopy, Hello Kitty, Castelo Rá-Tim-Bum e outros”, revelou o gerente de Marketing, Marcelo Silva.

Renata Blanc, proprietária da Blanc Toys, confirmou que o varejo de brinquedos observa a mesma tendência de retorno à nostalgia. “O segredo é estar conectado com todos (não digitalmente), ouvir o cliente e saber qual produto está em sinergia com o consumidor naquele momento”.

Os Kidults

O tema dos adultos que revivem a infância por meio dos brinquedos foi mais bem explorado na palestra “Crianças no passado, consumidores hoje. Como os kidults estão revolucionando o mercado de brinquedos”, apresentada pela diretora da feira alemã Spielwarenmesse, Verena Urbschat.

Um dos maiores eventos do setor no mundo mantém um comitê de pesquisa de tendência que identificou o crescimento dos kidults e mostrou sua força: 67% dos adultos entre 18 e 65 anos no mundo são kidults em potencial e estão interessados em adquirir um ou dois brinquedos.

“A primeira motivação de compra deles são os hobbies e coleções, seguida do sentimento de nostalgia”, disse. A pesquisa apontou também que essas pessoas gostam de presentear a si mesmas.

“Os kidults representam um potencial enorme para o varejo. Minha dica para os lojistas é não perder este mercado lucrativo e crescente”.

Influência

A presença do influenciador Enaldinho lotou o auditório do ABRIN Talks para o painel “Do passado ao presente: como os influenciadores digitais transformaram o consumo dos brinquedos”.

Com mais de dez anos de atividade e 34 milhões de inscritos no seu canal do Youtube voltado para o público infantil, o influenciador contou um pouco da sua história e, principalmente, a forma profissional como sempre trabalhou.

“Quando comecei, sabia que o ciclo de um canal era curto. Então, sempre tratei meu negócio com responsabilidade e busquei formas de deixar a marca forte independentemente da Internet”.

Prova disso foi a presença no painel de Cintia Medvedovsky, CEO da Ziggle, agência de licenciamento que administra a marca Enaldinho. Na sua avaliação, as crianças consomem um volume muito grande de brinquedos por causa dos influenciadores.

“Não tem mais programas infantis, a audiência da TV por assinatura vem caindo. O mercado de brinquedos vai crescer na proporção da participação dos influenciadores”, afirmou.

Enaldinho aproveitou a plateia lotada de outros influenciadores para dar alguns conselhos: “Persistência. Mostra a cara. Antes o feito que o perfeito. A gente continua vai evoluindo sempre”.

Marketplace

A programação do dia foi fechada pela apresentação “Marketplaces como aliados para vender brinquedos – colecionáveis e clássicos do passado” de Juliana Lyra, gerente de Novos Negócios do Mercado Livre.

A executiva demonstrou a altíssimo alcance da plataforma para a comercialização de brinquedos e apresentou as ferramentas para alavancar os negócios, como Mercado Shops, Mercado Ads, Envio Fulfillment e outros.

Em consonância com as apresentações anteriores, Juliana confirmou que o Mercado Livre tem muitos produtos voltados para os kidults, como jogos de tabuleiro e outros.

“As oportunidades para 2024 são jogos de cartas, bonecas, brinquedos de montar e figuras de ação”, indicou. Outras informações importantes para quem pretende vender pela plataforma são que as vendas de brinquedos aumentam 40% quando algum filme é lançado no cinema e que aqueles vendidos pela categoria Full (entrega mais rápida) convertem 10% mais que os demais.

compartilhe essa ideia:

Eventos
6 de março de 2024
Galeria Abrin é espaço exclusivo da feira para expositores menores
Negócios
6 de março de 2024
Ferramentas e técnicas permitem que lojistas de brinquedos usem as próprias lojas, físicas ou virtuais, para melhorar os resultados
Eventos
6 de março de 2024
Instituto de pesquisa traz dados de vendas aos visitantes da Abrin 2024

Mantenha-se
atualizado
Assine nossa
Newsletter